Licenciatura em Ciências de Engenharia Aeronáutica

Solicitar Informações

O elevado grau de qualidade científica e pedagógica do corpo docente, com sólidos conhecimentos nas áreas de engenharia de materiais, mecânica e aeronáutica, promoverá uma sólida aprendizagem nesta área de conhecimento e aptidão para a resolução de problemas nas suas diversas vertentes de engenharia aeronáutica utilizando novos materiais, novas tecnologias em produtos inovadores, primordiais na indústria aeronáutica, criando futuros profissionais que demonstrarão liderança técnica e profissional, versatilidade e capacidade de trabalho em equipas multidisciplinares.

A estrutura curricular foi criada tendo em atenção o contexto europeu e internacional, de modo a garantia uma oferta e qualidade de ensino correspondente à que se pratica nas melhores Universidades nacionais e internacionais. E, principalmente, foi criada de modo a se adaptar às áreas inovadoras profissionais de que o país carece e que estão em desenvolvimento acelerado, como é o caso da formação em novos materiais e novas tecnologias que são introduzidas neste curso a par de conhecimentos básicos necessários na área aeronáutica, área esta de extrema importância para responder às necessidades de desenvolvimento industrial da sociedade portuguesa.

A licenciatura em Ciências de Engenharia Aeronáutica é reconhecida pela Ordem dos Engenheiros (OE), dando acesso à Especialidade de Mecânica, conforme publicação no site da OE (https://www.ordemengenheiros.pt/fotos/editor2/20190521_tabelas_cursos.pdf)

O Licenciado em Ciências da Engenharia Aeronáutica terá funções relacionadas com: – Elaboração de projetos para conceção e construção de aeronaves; – Planeamento do fabrico e operações de aeronaves; – Manutenção de meios aeronáuticos; – Gestão de sistemas relacionados com aeronaves e respetivas operações; – Investigação e desenvolvimento na área da aeronáutica. – Estágios na Carbures Group e na FIDAMC/Airbus

O que se estuda na licenciatura em Engª Aeronáutica?

O curso inicia com uma disciplina de “Introdução à Engenharia Aeronáutica” onde são apresentadas todas as áreas do curso e termina com um Projecto final de curso onde os estudantes aplicam e demonstram o que aprenderam ao longo dos 3 anos do curso.  Na primeira metade do curso os estudantes tem contacto com as disciplinas das ciências de base (matemática, física, química,  programação,…) e na segunda metade com disciplinas especificas da Engenharia em geral, por lado , e da Aeronáutica em particular, por outro. Há a possibilidade de duplo diploma quer com a Engenharia de Materiais (uma vez que as várias disciplinas comuns permitem fazer os 2 cursos em 4 anos), quer com o curso de Piloto de Aeronaves (em parceria com uma Escola de Aviação certificada para esse efeito). A engenharia Aeronáutica da Atlântica tem uma estrutura curricular com um Perfil de Estruturas, Materiais, Produção em Aeronáutica e Aerodinâmica.

Um Engenheiro Aeronáutico é um profissional capaz de …

…participar em projectos de concepção, manutenção e/ou modificação de aeronaves, equipamentos ou sistemas de apoio à actividade operacional de uma aeronave.  O que o distingue das outras engenharias todas, é uma forte capacidade para realizar integração de várias áreas das outras engenharias.

Quais são as saídas profissionais para os licenciados em Engenharia Aeronáutica?

O Licenciado em Engenharia Aeronáutica terá funções relacionadas com:

– Elaboração de projectos para concepção e construção de aeronaves;

– Planeamento do fabrico e operações de aeronaves;

– Manutenção de meios aeronáuticos;

– Gestão de sistemas relacionados com aeronaves e respectivas operações;

– Investigação e desenvolvimento na área da aeronáutica.

Sugerimos ao candidato, tal como a cada aluno, que crie um perfil em:

http://expressoemprego.pt/

e veja a regularidade em que são publicadas ofertas de emprego para este tipo de curso.

Que competências tem um licenciado em Engenharia Aeronáutica?

– Capacidade de modelação em termos físico-matemáticos funcionamento de todos os sistemas envolvido em todas as fases do ciclo de vida de uma aeronave ;

– Capacidade de conceber e projectar um veículo aeronáutico, integrando todas as

tecnologias necessárias;

–  Capacidade de planear a produção, usando os materiais e técnicas mais apropriados;

– Capacidade para resolver problemas operacionais, incluindo de modificação e

certificação;

– Capacidade para prosseguir estudos ao nível da investigação e desenvolvimento (I&D), em Portugal ou no estrageiro.

 

Algumas competências específicas do sector aeronáutico têm um domínio de aplicação mais geral e habilitam o licenciado em engenharia a intervir também noutros sectores de actividade profissional não-aeronáutica:

–  Capacidade de analisar sistemas complexos usando métodos analíticos, experimentais e computacionais avançados;

–  Capacidade de integração de tecnologias diversas, pelo conhecimento de cada uma e dos aspectos interdisciplinares envolvidos;

–  Intervenção a todos os níveis em sistemas mecânicos, electromecânicos e electro-aviónicos;

–   Capacidade para ter em conta aspectos de gestão, financeiros e de sustentabilidade;

–  Capacidade para prosseguir estudos ao nível de Mestrado e Doutoramento, em áreas de Engenharia Mecânica, Naval, Materiais, Gestão Industrial, Química, Civil, …

Qual o posicionamento desta Licenciatura face à concorrência (quantas escolas ministram a Licenciatura)?

Há apenas dois cursos no país cujo 1º ciclos (3 primeiros anos) têm uma correspondência ao curso de Engenharia Aeronáutica da Atlântica. Ambos são mestrados integrados neste momento mas em breve isso será alterado para o modelo que a Atlântica tem (3+2). Os nossos alunos, caso optem por isso, poderão entrar nos mestrados dessas instituições (entrando directamente para o 2º ciclo, i.e. para os mestrados), tal como a Atlântica tem já neste momento a frequentar nos nossos mestrados, alunos que fizeram o 1º ciclo nessas instituições e preferiram fazer o 2º ciclo na Atlântica. É o espírito de Bolonha a funcionar!

Quais os pontos fortes que nos distinguem face à concorrência?

O ponto forte é poder haver alternativas, dentro do curso pretendido, para quem não se adapte ao curso, seja por uma questão académica (turmas de grandes dimensões), seja por questões de localização (afastado da residência familiar). No caso do Técnico, muitos alunos consideram excessivamente teórico. São vários os alunos que entram no Técnico e nunca se adaptam! Este curso é muito prático e aplicado. No caso na UBI é a diferença da Localização: este curso é leccionado em Oeiras (junto a Lisboa).

 

O ensino é muito diferente do ensino nas faculdades públicas concorrentes. Os professores são mais disponíveis. O aluno é o centro de gravidade do processo educativo. Os professores tiram dúvidas de forma regular. As turmas são de muito menor dimensão, do que nas escolas públicas, o que faz muita diferença, especialmente no 1º semestre que funciona como a transição do ensino secundário para o ensino superior e vários alunos das escolas públicas “perdem-se no meio da confusão do ensino de grandes massas.”

Qual é o título no final da Licenciatura? (Engenheiro, Técnico Superior?)

Uma vez concluída a licenciatura o aluno é Engenheiro Aeronáutico.

A Licenciatura permite obtenção de cédula profissional da ordem dos Engenheiros?

A licenciatura da Atlântica é reconhecida pela Ordem dos Engenheiros Técnicos (OET) pelo que durante a frequência da licenciatura os estudantes poderão inscrever-se na OET como membros estagiários. A passagem a membro efetivo, e consequente obtenção da cédula profissional, requer a conclusão da licenciatura. Se posteriormente decidirem frequentar um Mestrado de Engenharia poderão então inscrever-se na Ordem dos Engenheiros (OE) como membros estagiários, podendo passar a membros efetivos quando concluírem o Mestrado e demonstrarem, através do CV, experiência profissional como Engenheiro. (De notar que este procedimento é aplicável a todos os candidatos a membro da OE independentemente da licenciatura frequentada).

Existem protocolos para Erasmus?

Sim, existem protocolos para Erasmus com algumas Instituições de Ensino Superior na Europa (ex: ITECH em França e ITS em Itália, entre outras).

Existem protocolos para estágios?

Sim, a Atlântica dispõe de 2 protocolos (Carbures/Airtificial e FIDAMC/Airbus) para a realização de estágios de 3 dias durante o 1º e 2 ano da licenciatura.
No final da licenciatura os melhores alunos terão a possibilidade de assinar um contrato de trabalho (de 6 ou 12 meses) com a Carbures/Airtificial.

Taxa de empregabilidade dos licenciados?

Os primeiros licenciados em Engenharia Aeronáutica da Atlântica irão concluir o seu curso nos próximos meses. Os que decidirem não tirar um mestrado (em Portugal ou no Estrangeiro) estarão certamente a trabalhar na Indústria (numa das empresas parceiras da Atlântica ou concorrendo a uma das várias ofertas que existem neste momento).

Quais os valores das propinas?

A propina é um assunto importante mas que é também muito sensível por se tratar de Ensino Superior Privado. O valor base das propinas está publicado no site. Neste momento estão Bolsas de mérito que cobrem parcialmente ou totalmente as propinas.

Qual a mais valia de estudar Engenharia na Atlântica?

A Atlântica, localizada em Barcarena, está a desenvolver uma abordagem à formação superior de qualidade completamente inovadora! Foi adquirida em 2014 pela empresa multinacional Carbures Group, sendo a única Universidade em Portugal gerida por uma entidade industrial e como tal em estreita ligação à realidade empresarial e industrial. A Atlântica resolveu começar por lançar, no ano lectivo 2015/2016 o curso de Engenharia de Materiais e em 2016/2017 a oferta foi ampliada para Engenharia Aeronáutica. Neste momento já tem mestrados e doutoramentos em engenharia aprovados.

 

A grande mais valia da Atlântica é proporcionar aos alunos, desde o seu 1º ano, uma formação e experiência junto da indústria. O facto da Atlântica ter protocolos e parcerias com algumas das maiores empresas do sector a nível ibérico, nos quais os alunos têm realizado estágios de curta duração, permite uma formação que vai de encontro ao que é pretendido pelo mercado de trabalho e que o projecto de Engenharia da Atlântica considera fundamental no ensino superior de engenharia em Portugal. Há um programa de estágios interno e haverá contractos de trabalho garantidos para alguns alunos no final dos seus cursos.

Estamos à disposição para esclarecer qualquer dúvida.

ATLÂNTICA

School of Management Sciences, Health, IT &
Engineering
Fábrica da Pólvora de Barcarena
2730-036 Barcarena
Portugal

Call Center / Informações

Telefone: +351 707 502 123

E-mail: info@uatlantica.pt

Centro de Informática

Telefone: +351 214 398 234

E-mail: suporte@uatlantica.pt

TOP